7 de março de 2021

Artigo: Atividade física na quarentena e os benefícios ao coração

648
0

Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, os sintomas do Coronavírus surgem entre 2º – 14º dia após a infecção (em média 5 dias de período de incubação); aproximadamente 90% dos pacientes infectados terão apresentação clínica leve da doença, sendo os sinais mais frequentes febre, dispnéia (falta de ar) e tosse.

Os pacientes portadores de doenças crônicas, em torno de 25 – 50% dos pacientes infectados, apresentam maiores taxas de mortalidade como a seguir: câncer 5,6 %, HAS 6%, doença respiratória crônica 6,3%, Diabetes 7,3%, doença cardiovascular 10,5%. Fatores associados a maior mortalidade são idade acima de 50 anos, presença de doenças crônicas, níveis elevados de proteína C reativa, Dímero D, Ferritina, Troponina, Mioglobina e de Interleucina – 6. Um dado importante é que em 40% dos casos podem ter RX normal e o paciente já estar acometido pela doença, sendo a tomografia computadorizada de tórax o exame de escolha, e nos pacientes com indicação de internação, este exame se encontra alterado em 89% dos casos, sendo o infiltrado em vidro fosco a alteração mais comumente encontrada.

MOMENTO ATUAL

Nessa fase de Pandemia pelo coronavírus temos que ter algumas preocupações, além do isolamento social para os grupos de risco, grupo esse onde se enquadram os nossos pacientes cardiopatas, pois esses têm uma mortalidade três vezes maior que a população em geral. Na casuística italiana, onde 75% dos pacientes que evoluíram mais graves eram portadores de hipertensão arterial, portanto os pacientes que usam medicações pra controle da pressão arterial não podem deixar de forma alguma de fazerem uso de tais remédios.

Em relação a se suspender o uso de medicamentos das classes de IECA/ BRA, medicações como Enalapril, Captopril, Valsartana, Losartana, etc … o que a Sociedade Brasileira de Cardiologia preconiza é que tais medicações não sejam suspensas nem trocadas por outra classe medicamentosa por causa do Covid 19.

Sempre tenha orientação de seu cardiologista! Somente em casos selecionados, tais drogas serão suspensas, como por exemplo, caso o paciente se contamine e evolua com hipotensão arterial, todos os vasodilatadores serão suspensos e em ambiente hospitalar.

ATIVIDADE FÍSICA NA QUARENTENA

Em relação à pratica neste momento, o que preconizamos é que se mantenham sim, com certa regularidade a realização de atividades física, mas de leve intensidade. Não é hora de exercícios em grupo e muito menos de se “bater metas”, superar exaustivamente os seus limites, pois o “overtraining” faz com que haja uma baixa da imunidade, propiciando assim o desenvolvimento de doenças.

A atividade física, mesmo que realizada dentro de casa, aumenta os níveis de HDL colesterol, o colesterol “bom”, abaixa os níveis de Triglicérides e de LDL colesterol , os “vilões” do aparelho cardiovascular.

A literatura mostra que o Covid 19 acomete o coração da seguinte maneira: 16 % na forma de arritmias cardíacas , 10 % com isquemia ocasionando Infarto agudo do miocárdio e em aproximadamente 7,3% com miocardite (infl amação do músculo do coração) e evoluem pra choque em 1-2% dos casos.

Nossos pacientes têm que ter em mente que a prática regular de atividade física, mesmo que dentro de casa nessa quarentena, pode ajudar além do sistema Imune, a abaixar os níveis do colesterol, abaixar os níveis de glicemia, uma vez que no paciente diabético a associação com cardiopatia, os torna pacientes de altíssimo risco caso sejam acometidos pelo Coronavírus. Mantendo-se ativo o paciente pode tentar atingir sim um IMC saudável, e tentar ter uma medida de sua circunferência abdominal, se for homem < 102 cm e mulheres < 89 cm, pois está comprovado que quanto maior a circunferência abdominal, maior o risco cardiovascular desse indivíduo.

Importante que os pacientes portadores de doença cardiovascular se mantenham rigorosamente aderentes à dieta adequada, sono regular e à atividade física, evitando a exposição ao tabagismo e ao etilismo.

Quando realizamos atividade física, ocorre uma redistribuição do débito cardíaco, ou seja, uma redistribuição do fluxo de sangue que o nosso coração bombeia. Por exemplo, quando estamos em repouso, o nosso débito cardíaco está em torno de 5000 ml de sangue e quando realizamos atividade física, este valor pode se elevar até mais que 5 vezes, ou seja, o bombeamento de sangue pode ser de 25.000 ml. Sendo que, em repouso, esse fluxo sanguíneo fica aproximadamente direcionado para o cérebro em 14%, coração 4%, músculos 20 %, rins 22%.

Já quando realizamos o exercício físico, a redistribuição se dá da seguinte forma, 84% do fluxo se direcionam para os músculos, coração e cérebro, ambos com 4% cada e diminui bastante o fluxo sanguíneo renal, para em torno de 1%. Nossa pressão arterial também se eleva durante a prática de atividade física, mas dentro de limites considerados fisiológicos (normais), e isso tudo é de extrema importância para se manter o nosso coração saudável! Dessa forma, a manutenção do treinamento físico pode prevenir o desenvolvimento de doenças ateroscleróticas, pois além de melhorar a circulação coronariana, o treinamento gera angiogênese capilar, o que melhora a irrigação do próprio músculo cardíaco.

Hoje, com a facilidade das mídias sociais, há diversos vídeos educativos de professores com habilitação em educação física que orientam como se manter ativo, mesmo dentro de casa, utilizando-se de objetos simples, como a própria cadeira, o sofá, a escada da casa, etc. Os exercícios que envolvem, por exemplo os músculos da panturrilha, são excelentes para melhorar o retorno venoso ao coração. A atividade física aeróbica melhora muito a frequência cardíaca basal do paciente, o que aumenta o tempo de diástole, melhorando a irrigação das artérias coronarianas que irrigam o nosso músculo do cardíaco.

Bibliografia:
-ACC Clinical Bulletin Covid 19 Clinical Guidande for the CV Care team.
-Jacc Covid 19 Clinical Guidance for Globalcardiovascular Clinicians
-Chen H, Zhou M, Dong X, et al. Epidemiological and Clinical Characteristics of 99 cases of 2019 novel coronavirus pneumonia in Wuhan, China: a descriptive study. Lancet 2020; published online January29

Comentários

comentários

Médica CRM-MT 5698 -Especialista em Cardiologia e Ecocardiografia pela Sociedade Brasileira de Cardiologia -Aperfeiçoamento em Ecocardiografia – Mayo Clinic, Rochester – USA -Diretora técnica Médica da Clínica ICTUS Cordis Check – Up -Médica responsável pelo primeiro exame de Ecocardiografia intra operatória em Cirurgia cardíaca do Estado de MT -Atleta amadora e amante do Ciclismo! -Fã das competições do ULTRAMACHO – 65 | 3054-5656

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui