28 de novembro de 2021

Os benefícios da luva ao pedalar

São muitos modelos com formatos e materiais diferentes. Entenda as diferenças e esteja sempre em segurança no pedal

921
0

Luvas não são itens obrigatórios no ciclismo. Mas, embora muitos prefiram não usar, principalmente quando faz calor, é bom lembrar que as luvas surgiram como um elemento de proteção para andar de bicicleta muito antes do capacete. Conheça aqui características e benefícios das luvas de ciclismo.

Tipos

Apesar de haver uma infinidade de modelos, luvas de ciclismo acabam se resumindo a dois tipos: luva fechada e luva aberta.

As luvas fechadas (ou de dedo longo) cobrem a mão toda. São perfeitas para os dias frios, porém, não servem apenas para o inverno, já que o material delas pode proporcionar uma ventilação considerável. A luva fechada é uma luva de ciclismo perfeita: envolve e protege os dedos e a palma da mão.

As luvas abertas (ou de dedo curto) servem para proteger apenas a palma e o dorso das mãos. Por sem “sem dedos”, é bem utilizada nos dias quentes. Só que não protegem tão bem quanto luvas fechadas.

Em todos os casos, geralmente a parte de cima da luva é feita com um tecido mais leve e com boa ventilação; a parte da palma da mão possui um tecido mais grosso, para proteger corretamente.

Luvas e modalidades

Algo importante de se considerar ao escolher luvas é a modalidade a ser praticada. Quanto mais extrema a modalidade e maior a possibilidade de quedas, maior deve ser a qualidade da luva e o reforço dos seus materiais.

Por exemplo, para praticar MTB ou downhill, o aconselhável é optar por luvas com reforço total, ou seja, em todas as partes da mão. Já um passeio na cidade, no parque, ou uma atividade mais recreativa, onde você não vai correr tanto, exige luvas mais simples e leves.

Tecidos

Geralmente, são materiais sintéticos como:

Poliéster: tem como características a alta respirabilidade e a boa capacidade de absorver suor; porém, proteger do vento e da chuva não é o seu forte.
Acrílico: oferece boa respirabilidade e elasticidade, além de ser quentinho. Mas não é muito resistente com intempéries.
Velo: é uma microfibra quente e isolada, mas não muito respirável. É bem usado em temperaturas baixas.
Polipropileno: material excelente para resistência ao vento e intempéries, mas não controla bem a umidade.

Benefícios

Luvas de ciclismo oferecem conforto e desempenho durante o pedal. A tecnologia atual permite máximo conforto no desenvolvimento de luvas, e muitos fabricantes instalam bolsas de gel ou espuma para que o impacto nas mãos seja o menor possível. Mas não é só isso.

Elas evitam lesões feias nas mãos: as mãos são geralmente a primeira coisa que colocamos no chão ao tentar travar o impacto contra o solo. Luvas para ciclismo tem palmas mais grossas feitas de couro ou couro sintético. Nesse quesito, uma luva inteira é mais segura. Além de ferimentos e calos doloridos, pedalar sem luvas pode causar lesões internas na mão. O atrito direto da mão com o guidão causa bastante desconforto. Pedalar por muito tempo também traz problemas para os nervos da mão, causando até certa paralisia por conta da dormência proveniente de um longo tempo com as mãos em uma só posição. Luvas evitam esse problema.

Mantêm as mãos quentinhas: é excruciante pedalar no frio e sentir suas mãos congelando, não é? Luvas de ciclismo para o inverno têm isolamento máximo, e os modelos impermeáveis são garantia de mãos secas o tempo todo.

Mãos no guidão: suor ou pele seca podem dificultar a aderência das mãos ao guidão. E isso pode ser perigoso. As luvas vão garantir que as mãos se prendam a ele, melhorando o desempenho e o conforto do pedal, principalmente em terrenos acidentados. Certos modelos também são produzidos com garras de silicone nos dedos para garantir segurança na hora de frear ou mudar de marcha. Muitas luvas de ciclismo possuem tecidos que fazem o suor da pele evaporar e a mão respirar. Além disso, a maioria das luvas possui sistema de fixação por velcro no punho, o que garante uma fixação segura da luva na mão.

Adições interessantes: existem luvas de ciclismo com “pads” nas pontas dos dedos, para usar o celular sem precisar tirar as luvas; alguns modelos também apresentam tecido aveludado no dedão para limpar o suor dos olhos sem irritá-los.

Cuidados

É importante manter as luvas bem higienizadas, já que elas acabam armazenando suor e umidade. Quando bem cuidadas, elas podem durar muito, muito tempo.

Após cada uso, pendure as luvas em um varal com bastante ventilação. É preferível lavá-las manualmente, e a secagem pode ser na sombra. Mas a lavagem não precisa ser muito frequente.

Nunca use suas luvas se elas estiverem molhadas (por isso, é sempre bom ter mais de um par). Como elas têm costuras na parte interna, verifique seu estado de vez em quando e repare qualquer buraquinho que apareça, para que ele não aumente de tamanho.

Como escolher

As informações acima podem guiar sua decisão. Preste muita atenção no tamanho: a luva não pode ficar apertada na mão, mas também não pode ficar solta. Luvas muito grandes podem ficar pesadas na mão; luvas muito justas podem limitar os movimentos e cortar a circulação.

Escolha um modelo que vai lhe dar a proteção necessária. Olhe bem o material, se ele é exatamente como você quer. Você pedala frequentemente na chuva e com vento? Transpira muito nas mãos? Assim, vai dar pra decidir se o que você precisa é de uma luva impermeável, ou mais ventilada.

Luvas para o frio servem para o calor?

Quando está frio, a luva, além de proteger, ajuda a aquecer as mãos. Em casos mais extremos alguns usam até mais de uma em cada mão. Já quando está quente, é necessário adaptar as roupas para o mountain bike, mas isso não significa não usar luvas ou usar luvas sem dedos. Já foi mais comum ver ciclistas com luvas curtas praticando mountain bike, mas essa moda está passando, e a maioria dos ciclistas se apercebe da vantagem de proteger as pontas dos dedos também.

Graças à evolução dos tecidos, as luvas atuais são muito respiráveis ​​e resistentes. Portanto, mesmo que sejam inteiras, o calor que elas fornecem é mínimo em comparação com a proteção e os benefícios.

Os tombos com bicicletas de montanha tendem a ser muito mais comuns do que nas estradas. Além disso, as mãos são geralmente a primeira coisa que colocamos no chão ao tentar travar o impacto contra o solo. Portanto, uma luva inteira é mais segura. E as quedas acontecem tanto no inverno como no verão.

No MTB, as mãos ficam muito expostas a atritos e impactos, como a vegetação quando passamos rapidamente em trilhas estreitas ou entre áreas arborizadas. E no verão essa vegetação geralmente é seca e com espinhos. Portanto, não parece uma boa ideia pedalar com as mãos nuas ou com luvas sem dedos.

Assim, o ideal é ter pelo menos um modelo mais pesado para o inverno e outro mais leve para o verão, uma vez que a luva não é um acessório excessivamente caro, e também é um dos elementos que dão mais liberdade para o ciclista manifestar sua personalidade (além de poder combinar com as meias!).

Comentários

comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Open chat